Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2007

Devaneios "sobre o inconcebível" e "Fada"

Estes dois textos foram publicados no meu blogwww.desenhosedevaneios.blogspot.com ... Divirtão-se!


Sobre o inconcebível

Há quem um dia dirá
Que em seu caminho
Nada se cumprirá

Este alguém em constate conflito
Vai se desfazer aflito,
Quando de longe o avistar

Montado em sua glória
Vestido de vitória
Com muito para contar

Não completo, no entanto,
Pois seu coração ingrato
Não quis te acompanhar

Vagueia ele e tão triste
pois perdido existe
e não vai se encontrar

Mais para aquele que o inveja,
A tua total felicidade festeja
Querendo no fundo te apunhalar

Com asas cortadas por mentiras
Correntes mais fortes que a saudade
Vê seu amor seguir as sereias.

E há quem um dia dirá
Que é impossível infeliz estar
Pois de fora é fácil dizer
Mas só de dentro pode se perceber
O que para os outros é inconcebível...

Fada

Fadados à imensa solidão
Vivendo em tristes pesadelos
Fugindo de seus medos
Mas sempre caindo mais no abismo

Suas asas a tiram do chão
Mas não lhe dão liberdade
Pois a onde for será perseguida
Se esgueiram por sua v…

Conto do estranho ao medo e ao fantastico " o começo depois do fim"

Este é um ramo de história do meu livro... que fiz um pequeno conto... abraços



O Começo depois do Fim

Na vida, temos que fazer escolhas.
Os caminhos que escolhemos decidem nossas vidas, e também os de vidas a nossa volta.
Não consigo acreditar que nas minhas mãos se encontramnão só a minha vida... mas também daqueles que gosto.
Ela não sabia o que iria acontecer. Eu não sabia o que iria acontecer. Aquelas palavras, aquele gesto...
Mudou nossas vidas... Minha culpa... Fiz muitos pagarem pelos meus erros. E agora pago com minha solidão. Estou sozinho agora. E todos que eu amava, não existem mais...
Caminhos...
Escolhas...
Sempre penso que isso tudo é um pesadelo e que vou acordar, suado e assustado, e vou te encontrar do meu lado, e irá me acalmar, me tomar em seus braços, colocará minha cabeça em seu colo, vai me ninar e dizer que me ama.
Minha narina começa a arder, meus olhos a lacrimejar, o que isso? Lágrimas?
Eu não tenho nem ao menos direito de chorar, a dor do arrependimento é grande dem…