Em memória.

Busco cada lembrança da nossa infância
E a sua risada e ingenuidade é o que mais me marca.
Sempre doce e calmo, engraçado e bobalhão.

E depois de adulto todas as distâncias a vida nos impôs
Não ter tempo para lembranças é o que mais nos dói.
E quando notamos que alguém partiu...
Nada mais adianta fazer.
Tentamos chorar pra colocar pra fora
o mar escuro do nosso coração.
O que sobra é o desejo de que vá em paz:

Meu primo. Meu irmão. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Discutindo o racismo texto 2 - Desconstruindo Ruth Catala

Discutindo o racismo Texto 1: Piadas racistas

Critica Filme " Mundo deserto de Almas Negras" O racismo como sempre vemos e da pior forma.