Na cena de uma despedia... produto de um domingo, que não foi inutil por completo...


Na cena de uma despedida


 


 


Ambiente a umedecer


Narinas a arder


Cabelos a se arrepiar


Um corpo ao chão a cair


Uma lágrima simultânea a rolar


 


Garganta a se fechar


Não conseguia nem respirar


A saudade cresce rapidamente


Pois eu sei que você não vai voltar


 


Com a mão direita, aperto o meu peito...


A dor parece que vai me matar


Pois ele sabe que essa é a minha vontade


Quem sabe assim você não fosse me deixar


Quem sabe você poderia me perdoar


 


O som do corpo ao encontrar o chão


Dando-me a certeza... Não havia mais salvação


A dor duplica, me ajoelho ao lado do corpo agora inerte,


O sangue que escorre...


 


A duvida e a culpa me invadem.


E a mim querem possuir


Por que? Fez isso a si!?


Não se ferindo apenas...


A mim conseguiu matar


 


E a sua dor de outrora


Que para mim era tão pequena


Percebo agora,


A você devia sufocar


 


Sinto não ter tido a chance


De a você ajudar...


E agora nem isso te dizer


As facas da culpa


Ao meu corpo querem apunhalar.


 


Solidão, medo e ilusão


Doenças que me torturarão


Dando-me à vontade,


De a você me juntar.


 


Não posso...


Sei que não vou te encontrar


Você foi tudo pra mim


Mas como ser humano


Sei que a dor vai passar


 


Outro alguém vou  encontrar


Depois de anos a sua morte chorar


Sei que você se foi...


Mas que gostaria que continuasse...


 


Pelo menos é cômodo para mim


Assim pensar.


Minha duvida eterna, no entanto,


Vai ser: por quê?


Por que você fez isso??

Comentários

  1. Maravilhoso teu blog cara! Parabéns, você é muito criativo, li ele todinho por quase 2 horas, me surpreendeu de verdade sua habilidade para expressar sentimentos e a beleza com que você consegue colocá-los aqui. Um grande abraço. Te adicionaei aos meus Favoritos, tomei a liberdade, ok. Mais uma vez parabéns.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Discutindo o racismo texto 2 - Desconstruindo Ruth Catala

Discutindo o racismo Texto 1: Piadas racistas

A história que o tempo contou